Porto um pesado carretel
Mas,ao invés de indicar a saída
Que desconheço
Minha linha segue emaranhada
Nas profundezas do labirinto
Trilha cada vez mais fundo
Dentro de mim

Ao acompanhar esse fio
Ou me encontra
Ou se perde
Ou ambos

Na tentativa de desatar o nó
Enquanto não localizo o caminho
Enquanto não sou encontrada
Vou criando essa rede assimétrica
Quando chega o cansaço e o frio
É nela que me aninho…

Anúncios