no meio de boêmios cansados da peregrinação das ruas cheias, quando a claridade do dia dava seus primeiros sinais, anunciando que era hora partir. Deveria ter ficado ali, quando, sem eu mesmo perguntar, você repetiu, várias vezes, que não ficaria comigo.
Mas, meu coração burro não quis acreditar no que era, tão claramente dito, e se perdeu…
Depois disso, vieram diálogos sobre as águas da baía… provocações abafadas pelo som alto de alguma casa noturna… palavras na tela do computador ou indagações quentes no ônibus na volta pra casa…
Vieram conversas inteligentes, conversas amigáveis…
Orgulho pela sua empolgação e o seu talento… a contestação inegável de um grande potencial em pleno desenvolvimento…
Eu vi seu coração se perder e se encontrar… se preencher e se esvaziar… se partir e se remontar…
A sua ascenção e sua queda… e vi você dar a volta por cima…
Bochechas rosadas… sorrisos e mais sorrisos…
Algumas doses de álcool…
Depois disso, fui parar em suas mãos e ser recusada… suas tentativas de me passar a adiante…
Depois disso, algumas lágrimas minhas…
Um pouco de dor…
Frases, músicas, que eu sei que não foram para mim, mas que mesmo assim, eu me iludia,querendo acreditar que eram…
Muita coisa subentendida… e eu, interpretando tudo errado…
Muitas mensagens cifradas,palavras… palavras…
O peso do que não foi dito pessoalmente…
O vazio deixado por gestos que contive…
Abraços que não dei… O colo que não ofereci…
Depois daquela madrugada,quase manhã, foram tantos contos, poesias e recados… Colombina, Pierrot-Arlequim,Sr.Iluminado…
Luzes acesas…
Foram tantas reticências… reticências demais… que eu não consigo descartar dois pontos e dar um fim…
Depois daquele momento, em que meu coração ouviu o contrário do que era dito…
Se meu coração não fosse tão burro…

Essa, é a minha versão dessa história, que eu não consigo terminar, porque na verdade, nunca começou…

E você, tem algo a dizer? Uma borracha,um ponto final?

Porque tudo deveria ter terminado ali, quando você me disse não…

Mas…

Anúncios