O problema  de quem está acostumada a ler entrelinhas, como eu,  é que sempre há uma dúvida se o que se entende, é mesmo o que entendeu. Ou se o que é dito ou escrito, é apenas o que é dito ou escrito.
Às vezes, um não pode ser um sim ou um talvez…
Mas, na maioria das vezes, um não é um não. Sem verdade oculta. Apenas um não.
Quando tem desejo envolvido, difícil não deixar se confundir… interpretar a verdade como gostaria…
E eu já estou  meio cansada de (me) enganar com mensagens embaralhadas. Com frases, que é bem provável, que não sejam pra mim.
Seja lá com for, não-sim, não-talvez, não-não,  já nem faz tanta diferença.
Pra quem já se acostumou com nãos-nãos, um sim ou um talvez, já seriam além do esperado.
Eu não alimento expectativas.
Se for o caso de um não com mensagem escondida, eu só quero deixar rolar.
Se não for, também, tudo bem.
Eu desisti de te conquistar há tanto tempo.
Eu estou seguindo o fluxo…
Brincando com a realidade pra matar o tédio.
Levando leve.
Seja lá como for, estou deixando rolar…
Mas se quiser ver o que pode acontecer…
“Come on and let it out…”

Anúncios