Muso, Muso…

eu não sei o tempo exato, porque não sou de contar horas, nem datas em folhinha, mas eu sei que já tem muito tempo, que você virou inspiração dos meus escritos e assunto dos meus devaneios. mais de um ano…  dizendo assim, passou rápido, não é? mas houve momentos, que os ponteiros passaram arrastados. vários meses de espera que algo mude, que algo se reverta… e nada aconteceu. nem surgiu alguma chance de poder mostrar que apesar de ser essa coisa esquisita, louca e chata, eu poderia ser boa companhia… nem veio uma amnésia instantânea que apagasse de mim essa esperança louca, de que um dia essa oportunidade surgiria.

e sem poder fazer nada, nem te conquistar, nem te esquecer, eu fiz de você meu muso à sua revelia. eu não sei se isso foi certo, mas era a única coisa que eu podia fazer. isso, e essa tentativa constrangida de manter uma amizade.

faz muito muito tempo,de palavras e palavras e nenhuma história, nada nem de incerto, muito menos de concreto. muito tempo do que é sentido, mas não é vivido. e eu fico prometendo parar de escrever, já que nesse enredo nada acontece, mas sempre acabo aqui, jogando palavras e mais palavras nessa tela. e as palavras tomaram proporções tão grandes. ganharam um peso maior do que a situação. espero que minhas palavras nunca tenham pesado sobre você, por que o que sinto não é de verdade, carregado de drama ou tristezas. o que sinto, mesmo  não sendo retribuído, é bom e leve. por que quando se quer o bem de alguém, mesmo que isso seja ignorado ou rejeitado, ainda assim é bom.  e se eu escrevo essas coisas todas, tantos versos e recados, alguns, muitas vezes carregados de tons escuros, é porque eu tinha que dar vazão ao que sinto de algum jeito. porque às vezes, o afeto que não se dá, precisa escapar de alguma forma…

mas uma hora, isso vai parar, não porque eu vou deixar de gostar de você, porque de fato, eu não se deixa de amar de verdade as pessoas, o sentimento apenas se modifica, se ajusta à realidade… o sentimento é sempre o mesmo, o que muda é a forma…

e eu nem sei porque estou escrevendo isso tudo, sabe… você já está cansado de saber meus sentimentos em relação à você. e escrever e escrever não nos leva à lugar algum. e talvez, minhas palavras, só te levem para mais longe de mim. acabem dificultando a possibilidade de uma amizade sincera…

o que eu preciso que você saiba, é que eu sempre quis apenas uma chance de ver o que poderia acontecer, mas eu também sempre soube que isso não era da sua vontade…

e eu, também, ficaria muito feliz, se conseguisse, fazer nossa amizade fluir…

seja lá o que for, tudo sempre dependeu mais do que você quer do que da minha vontade. eu sou só uma criatura esquisita que escreve e que te quer bem…

não me leve a mal não, viu, muso… ;)

“I, it’s possible, I
Have gone too far
When it comes to you
(…)
When it comes to you and me
What is left for me to do
Now it’s all just up to you”
Ida Maria
Anúncios