eu não sei se ainda insisto, em descrever, em palavras, o que sinto, por culpa de desse meu coração teimoso e subtraído (ainda não devolvido).

ou vai ver que é tudo culpa desse seu jeito de menino esperto (e, secretamente,tímido), dessas suas bochechas rosadas…

mas, o que teimo, o que sinto, o que escrevo,o que faço, faz alguma diferença?

como pude me apegar assim?

e são tão esquisitos,essa distância e silêncio que mantemos.
não sei se é mais fácil lidar com a falta sem a proximidade.ou se é simplesmente, uma fuga.
de qualquer forma, é falta. e sentir falta, não é bom…

só espero que, quando a minha cabeça e o meu coração voltarem pro lugar, possamos ser amigos.

eu deveria me colocar na sua posição. deveria tentar descobrir como é que se devolve um coração que roubou sem querer, sem perceber. facilitaria as coisas para mim e,talvez, pra você…

Anúncios