Eu fui construindo meus muros, me calejando para não deixar mais que me afete, mesmo me afetando. Agora, é você, que começa a empilhar seus tijolos. Eu devo ter errado tanto, porque estou sempre entendo e fazendo as coisas do jeito errado,que consegui estragar tudo de vez.

A cada tijolo enfilerado,fica mais distante, a chance de que, ao menos,  a possibilidade de que uma amizade futura pudesse sobreviver…

E se ambas as muralhas atingirem às alturas? Se, se tornarem intransponíveis? Se, além de tudo que já foi perdido até agora, eu também não tenha como recuperar meu coração?

Eu construí meus muros… minha redomas…

Como eu faço para sair?

Anúncios