E pensar que gastei palavras e mais palavras…

Eu me enganei muito bem durante esse tempo todo…

Me sinto tão burra… Mas tão burra…

Tão pequena… mas tão pequena mesmo…

E tão triste…

Faz um último favor pra mim, Pierrot das bochechas rosadas (ou seria, de fato, Arlequim?). Se não for incomodar muito, pega esse meu coração que está com você e destrói. Incinera, ou dá pros cães da rua comerem. Mas faz questão de que não sobre nem um pedacinho. Para que eu nunca mais tenha que me sentir como me sinto agora. Porque ninguém perde ou tem roubado algo que já perdeu. Não deixa nem um pedacinho, nada que possa, algum dia bater em vão.

Tão burra…

Tão pequena…

E triste…

Há um bom tempo eu havia prometido não chorar por causa disso. Mas acho que de raiva da minha estupidez, eu posso…

Como eu pude me enganar tanto?

Anúncios