ando numa fase em que a ignorância virou o meu escudo… e ao mesmo tempo minha liberdade…tudo que eu soube,já foi o suficiente para arrebentar as correntes que me prendiam…agora sigo sem olhar para trás… como se o que eu deixei, nunca houvesse existido… porque, na verdade não existiu… eu enxergava com olhos macios e complacentes o que era ácido e feio… eu não percebia que enquanto observava, tudo em volta era corroído… que eu era corroída por dentro… até que não pude negar seu poder destrutivo… e ao me deparar com a verdade, o próprio ácido corroeu minhas correntes… eu deixei meu monstro para trás… e quanto mais eu me afasto e desconheço, menor e menor ele fica… em breve, só existirá nas palavras que minha ilusão proferiu em prosa e verso…
em breve será o que sempre foi de fato, sem que eu percebesse, uma ficção…

 

e complemento:

o que eu enxergava e percebia, sendo ficção que é, é minha criação, que agora abandono como livro mal escrito…

está na hora de escrever outros… melhores e realistas…

uma biografia que se escreve vivendo…

e vivendo…

livre, enfim…

livre…

comentei isso,  aqui

 

Anúncios