E escrevo,não porque  precise aliviar um peso ou uma angústia.Mas,porque preciso deixar esse momento registrado. Algo que aconteceu há pouquíssimas horas atrás, e que, só agora, me dei conta.

Retorno no tempo.

Mesa de bar. Algumas garrafas já vazias.
Me perguntam:
-Vocês não estão se falando?
Eu:
-Não.
Perguntam novamente,com ênfase:
– E isso está te fazendo falta?
Eu:
-Não.

Não, eu respondi.Sem pensar.Porque era natural. Verdadeiro,como dizer que o céu é azul.Uma verdade comprovada. Uma verdade sincera.Dessas que já fazem parte da gente.E, horas depois,na frente da tela fria,eu me dei conta do que havia acontecido. Nem precisei refletir à respeito.Pude sentir a liberdade, das pontas de meus dedos dos pés, até as espirais irregulares dos meus fios de cabelo. E, ao sentir, essa liberdade, que se sente na pele e na alma, eu sorri.
E assim vi, um universo já conhecido dos olhos, mudar de cores e formas,bem na minha frente…

Anúncios