É artimanha da solidão
É sacanagem do destino
Em movimento clandestino
É sabotagem do coração

Por amor eu fiz uma canção
Declarando o que tinha no meu peito
Mas agora que preciso esquecer
Compor pra apagar do coração
Nada fica bom, nada fica direito
Dá tudo errado na hora de escrever
Tudo fica feio, tudo fica mal feito
Não sei é de samba ou se é de rock
Se é grunge, indie ou metal
Partido alto ou samba canção
Não sei onde começa cada estrofe
Nem defini ao certo qual o refrão
Me perdi na construção da melodia
Nada parece em harmonia
Desafinei na introdução
Quis uns versos ritmados
Algo bem arranjado
Mas nenhuma palavra se encaixou
Tentei algo mais compassado
Depois algo mais agitado
Só que o couro do pandeiro
Não aguentou
Tentei um solo na guitarra
Em uma nota forcei a barra
E uma das cordas arrebentou
Como pode ser assim?
Se compus tentando um começo
Como é que não posso cantar pro fim?

Anúncios