Oh, Colombina que não é Colombina!
Teu Pierrot é mais que qualquer Pierrot já sonhado por ti
Tem estrelas na pele
Música no olhar
E asas nos pés
Que o levam para passeios distantes
Mas que sempre o trazem de volta

Ah, Colombina!
Que a vida é melhor que seus antigos devaneios!
É uma dança a dois e improvisada
Ao som de guitarras e campainhas de bicicletas
Divertida e bela
Uma aventura doce
Entre paredes ou sob o céu
Café e chocolate
Gatos dormindo sobre seus pés
Um cachorro tocando uma canção

Ah, Colombina que não é Colombina!
Seu Pierrot tem o coração gigante
Ainda bem que em seu camafeu cabe o universo
Cabe o coração do Pierrot
As constelações de sua pele
Suas rotas
Suas notas musicais

Ah, Colombina!
Como posso te escrever,
Se o que vivo é tão mais belo
Que qualquer conto de carnaval?

Anúncios