Sol de meio-dia

O gato se derrama pelo chão encerado da varanda
O creme da casa da frente irradia luz como espelho
Uma brisa morna balança um apanhador de sonhos dependurado em frente a rede
As sombras se escondem embaixo da amendoeira,
Embaixo dos pés,
Desaparece nas bases dos postes

Do outro lado da baía,
Numa copa apertada,
Com a temperatura condicionalmente controlada,
Você almoça uma marmita microondamente aquecida
O meio do dia incandesce quando sai pra um cigarro na calçada

Sob as telhas vermelhas da varanda
Ou sob a marquise concretada do edifício
O mesmo astro castiga nossas vistas e aquece nosso corpo
Seja gentil, Sol
Porque de quente, já temos um ao outro…

Anúncios

Encomenda

Eu te envio o meu amor
Como um cobertor que te aqueça
Num ninho seguro

Te envio o meu amor
Como refúgio secreto
Que te dê paz e equilíbrio

Eu te envio o meu amor
Como estrela no céu
Para que encontre a direção

Te envio meu amor
Como grandes asas
Para que esteja em liberdade

Eu te envio meu amor
Como sol de primavera
Para que seus dias sejam sempre agradáveis

Eu te envio o meu amor
Como uma canção ou uma pintura
Para que esteja sempre inspirado

Eu te envio meu amor como elixir
Para que o corpo e a mente
Acompanhe os seus desejos

Te envio meu amor
Como amuleto
Para que a sorte sempre esteja ao seu lado

Eu te envio o meu amor
Como as melhores lembranças
E os mais incríveis planos
E as coisas mais simples e belas do agora
Para que seja feliz

Te envio o meu amor
Como amor
Pois é tanto amor que tenho
E tanto amor que recebi
Que é tudo que tenho para dar…

Missing link

Às vezes, pode ser que pareça que somos estranhos. Acontece. A vida vira e mexe provoca amnésias, aparentes ou não,  temporárias ou permanentes, grandes ou pequenas, profundas ou superficiais.  Então, se por algum instante isso ocorrer: você esquecer que eu sou eu,  eu esquecer que você é você e que somos nós, seria esse o caso de deixar a timidez de lado e nos apresentarmos novamente, sem cerimônia. 

Eu tenho certeza que sempre será um prazer te conhecer…

Randoneiro

No asfalto,
Entre o mar e montanhas,
Você, a bicicleta e o desejo de chegar
Cada vez mais longe
Ir até aonde o corpo aguentar
Cada kilometro,
Cada reta,
Cada subida,
Cada curva,
Cada descida,
Numa prova
Onde todos vencem
A si mesmos
E levam pra vida
A superação

Você pedala,
E em algumas horas,
Irá ultrapassar a linha de chegada
E cada gota de suor,
Cada esforço físico,
Cada esforço mental,
Sempre valerá a pena

Você pedala
E eu aguardo seu retorno
Feliz e orgulhosa
Por você ir até aonde conseguir alcançar

Você pedala
E, com saudade
Na torcida,
Espero você voltar…

A vida que levo

Oh, Colombina que não é Colombina!
Teu Pierrot é mais que qualquer Pierrot já sonhado por ti
Tem estrelas na pele
Música no olhar
E asas nos pés
Que o levam para passeios distantes
Mas que sempre o trazem de volta

Ah, Colombina!
Que a vida é melhor que seus antigos devaneios!
É uma dança a dois e improvisada
Ao som de guitarras e campainhas de bicicletas
Divertida e bela
Uma aventura doce
Entre paredes ou sob o céu
Café e chocolate
Gatos dormindo sobre seus pés
Um cachorro tocando uma canção

Ah, Colombina que não é Colombina!
Seu Pierrot tem o coração gigante
Ainda bem que em seu camafeu cabe o universo
Cabe o coração do Pierrot
As constelações de sua pele
Suas rotas
Suas notas musicais

Ah, Colombina!
Como posso te escrever,
Se o que vivo é tão mais belo
Que qualquer conto de carnaval?

48 horas

Esta deveria ser a medida mínima do dia. Que as 24 normais são tão atribuladas, tão corridas, que precisamos do tempo de um dia, pra cada dia que vivemos. Assim,  mataríamos, não só à noite,  a vontade de estar junto.
Ai, amor, essa coisa que alonga as horas da distância e encurta as horas da presença…
Ai, amor,  esse amor que é tanto que não cabe e transborda pelo tempo…

E pela manhã, vejo você dormindo com a beleza tranquila de todos os sonhos. Uma pena te acordar…

Quando a viagem acaba

O melhor de tudo é quando a viagem acaba. Você volta e nosso apartamento deixa de ter o tamanho de mil estádios vazios no inverno. E o silêncio do deserto mais deserto dá lugar à sua voz.
O melhor de tudo é quando a viagem acaba. Você volta e me conta suas venturas e desventuras. E enche a casa de música. E enche  a casa de sorrisos e luz.
O melhor de tudo é quando a viagem acaba. Você volta e enche nosso lar de vida. Tudo fica repleto de amor…

Sol noturno

Você não imagina, o quanto a felicidade é mais feliz ao seu lado. As longas horas do dia, que o dia a dia nos faz separado, não são duras apesar da demora. Pois, quando a noite cai, a sua presença compensa qualquer espera.

Como uma lua, uma estrela. Chega após o entardecer e sai após a manhã ocupar o céu.

Mas, sua luz e calor são maiores que a do satélite prata, que os astros distantes. Traz uma vida mais reluzente que o globo amarelo que faz o mundo girar…

aperto

Você me manda a foto de um lugar bacana. Raridades e cerveja. A saudade apertada. Você quer pegar a estrada logo. Voltar pra casa. Brindamos, à distância, por um retorno breve. A saudade apertada. O coração fica gigante que não cabe nela. Rock bar, outra foto e um “eu te amo”. E eu aqui. E eu aí com você. A saudade apertada, como um sapato bem pequeno, uma calça encolhida. Meu coração quer se desnudar. A estação do metrô. Um cartaz de cinema. “Eu não queria ficar. Voltarei voando pra te encontrar”. A saudade apertada. Ah! Saudade apertada, faltam algumas horas para te desatar…

rima com felicidade

Amor só combina com dor
Pela facilidade da rima
Viver e sofrer
Fazem par
Quando não há o exercício do amar
O amor verdadeiro
Quando vivido
Só é sofrido
Quando o amado está longe
E mesmo assim,
É uma dor diferente
Que aperta o peito da gente
Uma dor, que em singularidade
Ganhou sua própria definição
Em nossa língua, por exceção:
Essa dor se chama saudade…

E chego a me assustar

Como pode?
Tanto amor

Como cabe?

Assim, sem me desfazer em pedaços,
Tanto amor dentro de mim

Como pode?

Esse amor que não pára de crescer

A cada dia
A cada instante

Como pode?

Você,  que é a razão desse amor que só aumenta
Saberia explicar?

Ou talvez,  seja esse o mistério do amor

Que no próprio amor se compreende…

Como pode?

Eu não sei

Eu apenas vivo
Eu apenas sinto
E amo…
Te amo…

Se esta rua fosse minha (e tivesse ciclovia)

Se esta rua, se esta rua fosse minha
Eu mandava, eu mandava cicloviar
Com o piso, com o piso antiderrapante
Só pro meu, só pro meu amor pedalar

Na cidade, na cidade tem muitos carros
Ônibus, motos e caminhões também
Melhor seria se tivesse ciclovias
Praças, árvores, rede de metrô e trem

Mas na rua, mas na rua tem o trânsito
E mau motorista, motorista a ameaçar
Eu queria, eu queria mais respeito
Pro ciclista, pro ciclista circular

Nesta rua, nesta rua tem um prédio
Que se chama, que se chama imensidão
Dentro dele, dentro dele mora um anjo
Que roubou, que roubou meu coração

Este anjo, este anjo tem uma bike
Que ele usa, que ele usa sem parar
Eu queria, eu queria ir com o anjo
E de bike, e de bike viajar

:)